Sou o que sou

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Sou terra, por ter razões. Sou berro, se aberrações. Sou medo, porque me dou. Sou credo, se acreditou

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Cinco (a)casos, alguns destinos e um Deus.



Pedro trabalhara a vida toda, de sol a sol,
Sempre vivera com grandes dificuldades.
Um belo dia, a loteria lhe fez os números.
Teve um derrame, de emoção.
Ao menos teve grana pra pagar a enfermeira
pra lhe dar comida na boca e trocar-lhe as fraldas
sem reclamar tanto...

*************************************************

Janice fez uma estripulia.
Cabulou a última aula, pra namorar o namorado novo.
Encontrou com João e foram passear no Jardim Botânico.
Janice tinha 16 anos.
Foi estuprada no horário da aula de Geografia.
Seu corpo foi encontrado depois de 20 dias,
em meio a árvores frondosas.
João desapareceu.

***************************************************

Aquele dia seria muito especial para o jovem Amnon.
Tudo preparado para seu Bar-Mitzvá.
Aprendera todos os cânticos.Leu a Torah pela primeira vez.
Sua mãe continha o choro nas galerias da Sinagoga.
Tudo ocorreu como de costume e perfeitamente.
Após 10 anos daquela data, Amnon, já no exército de Israel
perderia a vida sob uma granada, na faixa de Gaza, junto com
um soldado palestino, Mahmud, da mesma idade.

**************************************************

No fim de semana tão esperado, Vanicleide ,
filha de Cleidemir e Vanizete, naturais da Paraíba,
se encontrou com mais cinco amigos e foram
ao shopping center Tijuca, mostrar sua nova
calça jeans com cintura baixa, super-justa e
ver vitrines de outras roupas que jamais conseguiria ter.
Divertiram-se a valer, com dinheiro contado, e outro
reservado pra condução da volta.
Tomou sorvete, deu uns passos de funk, na porta
da loja de CDs, paquerou, como qualquer garota de 17 anos.
Vanicleide ficou paraplégica, depois de ficar no corredor
do PS público da periferia, por 5 horas esperando ser atendida
para que lhe retirassem a bala perdida

incrustada em sua coluna...

****************************************************

Todos o conheciam no bairro como, Paulinho “Pede Cana”...
Devia em todos os botecos da Vila Madalena.
Nunca pagou, por certo.Vivia “pedindo o mézinho”...
Um tarde, tipo 6 horas, já completamente de cara cheia,
trôpego a mil, foi gravemente atropelado por um motoqueiro

malucão, mais um desses de Sampa, que se mandou, obviamente...
Paulinho “Pede Cana” ficou 15 dias em coma.
Acordou de repente, numa tarde ensolarada de Domingo.
Em êxtase, disse que subiu aos céus e foi ordenado a
mudar de vida.Teria uma missão.
Virou pastor crente num templo do Jardim Japão.
Aleluia !


****************************************************

E Deus, cuidava de seu jardim no universo...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Que grande ideia

(na foto, Carol e seu irmão, Fauzinho)



A Carol tem 16 anos, é minha "priminha-neta" ( nós descendentes de italianos, somos inventores de graus de parentescos inimagináveis !...), neta de Jurema, minha prima-irmã, e filha de Fauzi e de Maria Fátima , tb meus primos.
Bem, apresentações feitas, olha que legal e criativo o que ela escreveu para a escola, com o tema "Reforma Ortográfica", sugerido pela professora :

Que grande ideia tivemos
Ao mudar nossa língua natal
Ficou mais parecida com a que falava
o Vice-Rei de Portugal

Não foi minireforma
Desapareceram acentos, que joia
Sumiram circunflexos, quem diria
Pessoas não creem no que leem

Mas nós pan-americanos
Super-homens, supersônicos
Pedimos que se averigue
Se os voos seguiram bem

E nos churrascos gaúchos
Para que se apazigue o ânimo
Alguns, sem autocontrole
Só comem linguiça sem trema

E como se não bastasse
Nosso alfabeto, quem diria
Ganhou letras novas, que são :
K,Y e W

Caroline Rocha de Melo Pimenta Skaf

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Instituto Sacrosântico de Nomeamento



De acordo com o inciso 5º , do parágrafo 2º, do apêndice extemporâneo, abcluso da 100ª
instância debolecadora da perínfea exagonal da Constituição Sideral, não se abjetam as perênclias instrucionais que rezam e tergiversam nas alêndronas esfínticas do acórdão instituído pelos meritíssimos Doutores, já calendos e parassintéticos togados nas cercânias intra-pleurais, Senhores absolutos aqui pré-nomeados, sendo eles, abssínticos, analícreos, colunáceos , os quais nomeia-se a seguir, impetrosamente :

- Sua Santíssima Santidade, cátedro vitalíneo da sapiência divina, excelentíssimo Doutor Sr. Jose João Paranhos da Imaculada Conceição d’Almeida Sfinkter da Silva;

- "Exacre-Causae", datavênioso ejactante, de extrema veniência, sua excelentíssima excelência e excelente, Senhor Doutor Marionte Cardoso Albuquerque Moura Raton da Silva;

- Incólume, inaudível, amabilíssimo, anacreontico e metascrático, Sr. Doutor Pedro Honoris Sucumbacci da Silva e Silva, professor-doutor-phd-MBA-SCI-DOICOD em trigonologo-político-psicogastricologia;

- Metereoríssimo dentário buco-parlamentar, emério e proscrástico sócio-fundador do Clube de Roterdam da Paraíba, Sr. Doutor Cícero Pimentel Onofre Godofredo Scarting Sousa e Silva Praxedes da Costa.

Nomeia-se, sem contra indispostos,destravantes e abolecamentos, transsexuais, impertinências e/ou discurcivas precatorianas , empossados estão , cardiolisticamente apoiados nas conjecturas apocalípticas, sem sequer asseveclar tributariamente, nas contrapartidáceas infra-sonoras,
informacionais e tribalísticas.
Mutatis mutantis ritalíricos, execra-se quaisquer indisposições pré-vomitantes sub-contrárias e latejantes, entre elas as gineco-avassaladoras, inflamatórias, bem como as papanicolônicas pubianas e correlatas.

Assino escrevendo-me em sub-positório e por debaixo com toda falácia que me é doidivanamente asseverada, nesta data e local;

Sr.Doutor Sua Extrema Excelência, todo poder e glória, Dr. Deuseclídio Jesuítico dos Santos Nobres Lemos Bastos Barbosa Machado da Rocha Franco e Silva, desembargador do noblérrimo extraconjugáceo Tribunal do Supremo Supra Sumo Sancretino da Letônia.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Jungle Street

(Música Instrumental de J.E.Canônico)
(Catherine Deneuve, em cena de "Belle de Jour")
video

Aquele verão prometia...
Nas horas que ainda não eram
o sol chegara forte e antes
num tempo errado aos relógios.
Ela chegara de soslaio,
à la belle de jour,
já semidespida
na tarde em meio,
ainda cedo, sem alarde
de brilhoso perfume
como lânguido alarme...
Joga-se jocosa,
jazida em meu leito
sem pudor, aguça o calor
sempre de seu jeito,
roçando-me o peito...
A mornidão dos ares
que chegaria ao anoitecer
nada impediriam
da lascívia nua escorrida,
da cirúrgica mordida,
das janelas escancaradas
em pernas escorregadias,
até que, inebriados
do quente mel explodido
o torpor da exaustão
e odores de terra e pão
nos abrandaria...
Antes mesmo da hora,
daquela que não seria,
do primeiro ávido do dia
tudo recomeçara
úmido,devasso, purpúreo
ato pleno, que extasia
naquele verão
que prometia...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

geodésia


Na solidão cúbica do meu quarto
dentro de convexa madrugada
deitado em lençóis planos
vejo triângulos fixos internos
de quatro paredes retangulares,
cheias de pontos, retas e nada mais...

Meus ouvidos assimétricos
repartem um Haidn em ré maior
preciso e exagerado, sem pecado
tocado por ágeis dedos tubulares
num Steinway de cauda trapezoidal,
com o ruído redondo de um frigobar,
cheio de frio, gelo e nada mais....

Olho nas sombras de um roto abajur
projetadas por flashs de luz elíptica,
rotas cortinas improvisadas em dó menor
que caem como gotas senoidais
dentro da cuba estelar côncava,
cheia de louça, água e nada mais...

Meus dias se esvaem retilineamente
parto agudo, geometricamente
entorpeço , vem o sono...
Desdobro-me.Já é tarde...
Já cedo, relaxo sem medo
o som e a luz se mitigam
as sombras e a calma vencem,
cheias de traços, fugas politonais e nada mais...

domingo, 1 de novembro de 2009

Divas linhas, pérolas, dunas e rosas...

(para a amiga Poetisa, Cintia Thomé)



Delineio em fina pena arqueada
sobre papel de pele anacarada
curvilíneas pétalas de seda
sedam curvas e linhas ledas
esboço de pérolas em traços
quais pentagonais abraços
traçam rotas superfícies
beatas e ardentes sandices
vermelhas de veludo alado
e em brilho, esquivo orvalhado...

Esculpo sobre a tez da rosa
lamentos de versos e prosa
tatuagem de sal e miragem
refletidos em sua imagem
poucas Divas, outras em dunas
preenchidas com semibreves
de nanquim, tênues e leves
todas imaculadas lacunas
tal como sorrateiras brumas

Entorpecidos alentos
de sopros espargidos em ventos
flutuam por sombrios arrabaldes
soando brandos, sem alardes
impregnam toda gloria
acalentam perfilada historia
daquelas doces pétalas rubras
com as quais, desejo que te cubras...

Curvilíneas dunas de Divas peroladas...
Related Posts with Thumbnails